Para falar sobre a profissionalização docente em um contexto de adaptações e de pandemia é preciso entender que os professores têm um papel-chave no processo de ensino e aprendizagem da educação.

Com os desafios das aulas virtuais e das incertezas do futuro, a formação dos profissionais da educação será um elemento impulsionador e transformador da escola, da educação e da sociedade.

Para isso, os educadores precisam investir cada vez mais na inovação de suas estratégias de ensino e ultrapassar o antigo papel de detentor do conhecimento para desempenhar o de mentor.

 

Caminhos da profissionalização docente

Acreditamos que os currículos dos cursos de licenciatura precisarão ser adaptados com o objetivo de formar um profissional inovador e qualificado para a nova realidade da educação. Fatores como o impacto dos avanços tecnológicos, desdobramentos da sociedade da informação e biossegurança deverão ser levados em conta.

A tendência é que o currículo tenha uma carga horária prática distribuída ao longo de todo o curso, conhecida como residência pedagógica, que deverá ser orientada por um professor mentor.

 

Qual o novo perfil dos professores?

Identificamos dois grupos de professores: os generalistas e os especialistas.

Os generalistas são aqueles responsáveis por provocar reflexões por meio de questões essenciais com a missão de estimular a metacognição ou o automonitoramento do ato cognitivo dos estudantes. Já os especialistas terão como missão mediar o desenvolvimento de conhecimentos específicos da área, utilizando recursos da tecnologia em um ensino híbrido. Em ambos os grupos, novas competências serão exigidas, como inteligência emocional, gestão do tempo, curadoria de materiais e outras mais.

No no mundo pós pandemia, os professores e as professoras desempenharão papéis mais relevantes na sociedade e a profissão se tornará mais reconhecida. Nesse processo de questionamento, reflexão e reinvenção, nasce o (Des)aprenda, um movimento aberto e gratuito para educadores e gestores, que tem como objetivo compartilhar conhecimentos e metodologias para a profissionalização e valorização docente.

 

O Instituto Ânima já faz parte do (Des)aprenda. E você pode fazer também. Clique aqui para conhecer o site do movimento.