Com o avanço do Coronavírus, escolas e universidades estão revendo suas metodologias de ensino. Com o fechamento das instituições e o isolamento social, milhares de professores e estudantes estão encontrando novas formas de lecionar, aprender e conviver, o que é um enorme desafio.

Apesar de não podermos esperar que todos se adaptem repentinamente, este é um ótimo momento para nos reinventar e testar o uso de ferramentas tecnológicas já disponíveis para estruturarmos alternativas para a educação à distância. Pensar fora da caixa pode ajudar a mitigar o problema momentâneo além de fortalecer a cultura digital e avançar rumo à uma nova educação.

Para apoiar os professores nesse momento desafiador, o Instituto Ânima reuniu toda sua experiência para reinventar maneiras de continuarmos com a formação docente proporcionando momentos de aprendizagem, trocas de experiências e reflexões. Uma dessas ações é o PED – Programa de Especialização Docente.

PROGRAMA DE ESPECIALIZAÇÃO DOCENTE

O Programa de Especialização Docente (PED Brasil) é inspirado no Stanford Teacher Education Program – STEP, o reconhecido programa de mestrado em formação de professores da Escola de Pós-Graduação em Stanford. O PED, assim como o STEP, pauta-se pelo ensino para a equidade e pelos princípios da instrução complexa, que são:

• Articulação entre teoria e prática

• Parceria entre universidade e escolas na Educação Básica

• Equidade com excelência

• Coerência curricular.

Esses princípios orientam todas as ações e iniciativas relacionadas à formação de professores da Educação Básica, e foram pensados para serem colocados em prática nos momentos presenciais.

O currículo do PED em Ensino de Matemática e em Ensino de Ciências é composto pela integração das dimensões acadêmicas e clínica (mentoria), estreitamente conectadas para ampliar a coerência do curso.

Os docentes são responsáveis pelo componente acadêmico do módulo, ou seja, por conduzir as aulas apoiando os professores participantes na compreensão dos conceitos e conteúdo, no desenvolvimento de habilidade e atitudes, na leitura e discussão de textos e no desenvolvimento das atividades propostas para cada um dos módulos.

Os mentores, por sua vez, são responsáveis, ao longo de todos os módulos, pelo componente clínico, ou seja, pela residência pedagógica do PED a saber: discussões sobre a prática, acompanhamento das atividades a serem cumpridas nas escolas onde os professores participantes trabalham; observação in loco ou por meio de vídeos das práticas dos professores participantes e realização de devolutivas construtivas.

A conexão entre os componentes acadêmico e clínico do currículo se reflete tanto no planejamento e trabalho conjunto e colaborativo entre docentes e mentores, quanto na aplicação, nas salas de aula dos professores participantes, nas escolas da Educação Básica em que lecionam, de todas as atividades propostas nos módulos do PED em Ensino.

O Instituto Anima está formando 180 professores da rede Municipal de Educação de São Paulo por meio do PED. Com a pandemia e o isolamento social nos deparamos com a seguinte pergunta: como continuar com a formação dos professores da escola básica durante o período de isolamento social? Como podemos apoiar os professores neste momento tão desafiador para as escolas e todos os seus atores?

Para saber como nos adaptamos clique aqui e leia o texto sobre adaptações realizadas na formação de professores para a transição do curso do modelo presencial para o on-line.